• , , , ,

    Tignanello 2018

    R$1,956.90
  • , , , ,

    Solaia 2016

    R$5,149.00
  • , , , , ,

    Don Melchor Cabernet Sauvignon 2018

    R$999.00
  • , , , , ,

    Bibi Graetz Testamatta IGT 2018

    R$1,699.00
  • , , , , , ,

    Castillo Ygay Marques De Murrieta Gran Reserva 2010

    R$2,785.90

100 pontos.
.

Conheça os vinhos premiados

A Rootstock Vinhos por meio de sua curadoria comandada pelos Wine Hunters Paul Tudgay e Juliana Tudgay selecionou rótulos pontuados com a nota máxima. Destaca-se que já existiram outros sistemas de pontuações que não consideravam 100 pontos, mas neste artigo será abordado o sistema mais utilizado atualmente, os motivos para rótulos chegarem a essa pontuação e, principalmente, a especificação de cinco rótulos que conquistaram a nota máxima.

Primeiro é importante salientar que, obviamente, para ganhar 100 pontos, o vinho em questão deve ser perfeito ou o mais próximo da perfeição que um vinho pode chegar. Trata-se de um rótulo em que todas as análises organolépticas[1] e métodos de vinificação estão corretos. Cada crítico usa critérios diferentes ao julgar os vinhos, porém o senso de lugar, equilíbrio, concentração e potencial de longevidade são fatores universais entre os juízes de vinhos. O especialista Paul Tudgay ajuda a compreender melhor algumas questões importantes, confira os questionamentos e respostas abaixo.

Por que os críticos usam o sistema de 100 pontos? Poderia um crítico, ou mesmo um consumidor, realmente saber a diferença entre um vinho de 96 pontos e um vinho de 97 pontos? A diferença pode ser tão sutil?

Segundo Paul Tudgay, provavelmente não. Tradicionalmente uma escala de 20 pontos era usada, e ainda é, entre os jurados e jornalistas de vinhos britânicos. “Foi Robert Parker que popularizou a escala de 100 pontos – é uma coisa americana”, explica Tudgay. Os americanos apreciam os grandes números, tanto que outros exemplos disso podem ser observados em sua cultura, é o caso dos esportes americanos, todos eles têm sistemas de pontuação elevada. Um dos motivos que levam os americanos a não gostarem de futebol está relacionado a isso, pois eles claramente têm uma preferência por coisas excessivamente grandes. Sempre querem ser os melhores em tudo, portanto não entendem como em uma partida um time pode empatar com outro e ainda ser considerado um bom jogo.

Na realidade, o sistema de 100 pontos é o sistema de 20 pontos “on steroids”. “Raramente vemos um vinho com pontuação abaixo de 80, se for o caso é porque os críticos estão usando 20 pontos para pontuá-lo e, em seguida, apresentando-o numa escala de 100, funciona”, destaca Tudgay, que ainda enfatizou que o sistema de 100 pontos captura a imaginação, se destaca e torna os vinhos mais memoráveis e colecionáveis.